Poesia Bugio Ruivo.
“Pelo ronco que brota da gaita”.
O bugio se tornou conhecido
Bicho à toa, crioulo do pampa.
Que traz na estampa um jeitão divertido
No balanço maroto do taita
O gaúcho inventou esta dança
E o gaiteiro se espicha e se encolhe
E na manha do fole
A moçada balança
Quando ronca lá no mato
O bugio 'tá com saudade
Mas quando roncar a gaita
“Só não dança quem não sabe “
 
(Raquel Perret)
Crie versos ou frases para o Bugio Ruivo.
Educação para a Conservação.

          A continuidade do bugio-ruivo e de seus hábitats remanescentes depende decisivamente do esclarecimento e envolvimento da sociedade frente aos temas ambientais e aos diversos processos relacionados à preservação e restauração de ecossistemas naturais. Ciente desse fato, o Programa Macacos Urbanos desenvolve atividades e projetos de educação ambiental preferencialmente junto às comunidades humanas próximas aos locais de ocorrência do primata, como palestras audiovisuais e cursos de capacitação em escolas e associações comunitárias, caminhadas ecológicas e exposições de materiais didáticos.

 

 

Bugio Ruivo na Mata com Araucária.
Festival Ronco do Bugio.

O Ronco do Bugio é um festival de música regionalista gaúcha, de resgate do ritmo “bugio”, com abrangência em todo sul do Brasil, através da participação de compositores, autores, músicos e intérpretes, sendo um evento que ocupa amplo espaço nos órgãos de imprensa, constituindo-se um dos mais autênticos do Estado do Rio Grande do Sul, com shows nativistas e apresentações musicais concorrentes nas noites frias da serra. O Festival é realizado na cidade de São Francisco de Paula, e em 2008 terá sua 19° edição.


Letras do Ritmo Bugio.
Bugio Roncador
Xiru Missioneiro
Composição: Doné Teixeira

O tempo tava pra chuva e de muito longe se ouviu
O bugio se alvorotou e roncou na costa do rio
Mas só fez uma viração e pegou a roncar de frio
E o bugio pra ser bugio tem que roncar como bugio

O cachorro entrou no mato, viu um barulho e latiu
O bugio pregou-lhe um berro e a bugia a preveniu
E nas costas da bugia o bugiozinho também viu
E o bugio pra ser bugio tem que roncar como bugio

Num fandango de galpão é chamado de bugio
To tocando desse jeito e uma moça me pediu
Chacoalhando bem o fole no mais qualquer um assovio
E o bugio pra ser bugio tem que roncar como bugio

Os Bugios
Os Serranos

Os bugios que são bichos do mato vivem andando e trepados nos galhos
Se atirando de um lado pro outro vivem soltos e sem atrapalhos
Com a cola seguram o corpo quando saltam e pulam ligeiros
Caminhando só andam de lado formam coro roncando faceiros
Caminhando só andam de lado formam coro roncando faceiros

(Cada vez que os bugios lá no mato
Muito forte se põe a roncar
Também ronca um fole de gaita
E um gaúcho se põe a cantar)

Os gaiteiros antigos do pago que faziam os baixos roncar
Manuseavam as gaitas a ponto nos fandangos que iam tocar
Pelo ronco emanado dos foles comparado ao roncar dos bugios
Se criou no Rio Grande o ritmo logo a dança no jeito surgiu
Se criou no Rio Grande o ritmo logo a dança no jeito surgiu

O ritmo Bugio.



O nome desse ritmo e os movimentos executados na dança são inspirados em um tipo de macaco muito astuto e popular que habita as regiões de matas no sul do país, o bugio.
É um autêntico ritmo gaúcho, criado e desenvolvido no Rio Grande do Sul, diferente dos demais que mesmo com suas adaptações são das mais diversas origens (geralmente européias). Não se sabe ao certo, mas alguns dizem que o bugio surgiu de um erro do gaiteiro, outros dizem que foi da tentativa de imitar o ronco do bugio usando o jogo de fole da gaita.
Era dança da ralé (camada inferior da sociedade) comum nos bailes “Bragados” da região rural missioneira e nos meretrícios, mas tornou-se bastante popular passando a ser aceita até mesmo nas festas da alta sociedade. Atualmente o Bugio tem grande aceitação no meio tradicionalista e na maioria das festas populares do Rio Grande do Sul especialmente nas regiões das missões, no planalto médio e nos campos de cima da serra, mas parece perder espaço entre grupos musicais, mesmo sendo a dança de salão mais autêntica e gaúcha entre todas as coreografias e ritmos executados no baile tradicional.
A coreografia lembra os movimentos do macaco, dois passos para cada lado, cada compasso é binário e equivale a dois movimentos para cada lado, sendo que na passagem do segundo para o terceiro movimento no momento em que é dado o jogo de foles da gaita, os pares dão um pulinho lateral.

Vocalização do Bugio.

Acesse este link e assista a vocalização maravilhosa deste primata!

Extinção
Encontram-se ameaçados de extinção devido à caça, destruição das matas e pela proximidade com a população humana (atropelamentos, ataques de cachorros e choques em fios elétricos). Segundo o
Livro Vermelho da Fauna Ameaçada de Extinção no Rio Grande do Sul (2003), o bugio - ruivo consta na categoria ameaçada vulnerável.

 

Aonde o bugio-ruivo mora?
As matas nativas são a casa e a comida dos bugios. No entanto, a vegetação não é apenas o suporte dos animais, ela interage com a fauna numa relação de inter-existência, pois os bugios, outros mamíferos como o mão-pelada e diversas aves espalham sementes pela floresta, ao se alimentarem dos frutos de uma árvore e defecarem longe dela. Existem plantas cujas sementes só germinam após passarem pelo trato digestivo do bugio e de algumas espécies de pássaros. Desse modo, os animais colaboram para a regeneração florestal e a manutenção da diversidade florística das matas que habitam.

Existem bugios aonde você mora?
Dieta do bugio
Alimentam-se de folhas de determinadas espécies de árvores, como figueiras, chal-chal, maria-mole,cocão, corticeiras e ipês, complementando sua dieta com flores e frutos, disponíveis na floresta conforme as estações do ano. Como sua dieta é pobre em energia, os bugios passam a maior parte do seu tempo em repouso, descansando sobre as copas das árvores (foto repouso). Quando não estão repousando, deslocam-se de uma área para outra em busca de alimento,enquanto os jovens e filhotes brincam freqüentemente.


Faça uma pesquisa e adicione aqui espécies da dieta do bugio.
Conhecendo o bugio-ruivo
O bugio-ruivo (Alouatta guariba clamitans, Cabrera, 1940) é um primata neotropical da família Atelidae. Essa família abrange os diversos gêneros de macacos de médio e grande porte que ocorrem na América Central e do Sul. Eles são conhecidos pela sua vocalização característica, o famoso “ronco do bugio”. Essa característica é comum aos macacos do gênero Alouatta – por isso são chamados de macacos “gritadores” na língua inglesa (“howler monkeys”) e castelhana (monos aulladores). Além disso, o bugio-ruivo se destaca pela coloração avermelhada dos machos adultos.


Você sabia que Porto Alegre tem bugio?
[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
Visitante número: